Luz

Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Ressuscitação

 

IMG_0872 f.JPG

 

As minhas emoções adoeceram.

Depois de tanto, deixei de lutar, deixei que a doença tomasse conta de mim por completo, desisti. 

Decidi deixar-me morrer.

 

Depois de morta que mais me poderia ela fazer? A mais cobarde das doenças, aquela que não mostra a cara, que não sabemos muito bem se é carne ou peixe, não sabemos muito bem quem é nem de onde vem.

Nada mais me poderia afetar.

Porque eu deixei de desejar, de lutar, de querer, de fazer, de estar, de sonhar, deixei de acreditar e deixei de me importar.

Porque eu decidi deixar-me morrer também.

 

E como todos os outros assassinos, predadores, como todos os selvagens rudes insensíveis, desprovidos de emoções e consciência fazem quando matam as suas vítimas, não os que o fazem pela sobrevivência, como todos os outros, também este abandona a sua vítima assim que a vê morta e inanimada.

 

 

Então, a esperança renasceu em mim e obrigou-me a acreditar na ressuscitação.

Eu que já tinha morrido!

Agora surge-me este ínfimo laivo de esperança , quando vejo o sol. Quando o meu corpo combate a minha mente, sorrindo sem eu o mandar, afinal eu disse-lhe que tinha morrido.

 

Eu vi uma semente e eu sei que não há volta a dar. Sei que é o suficiente para eu voltar à vida.

Estou calma agora, não tenho pressa porque sei que vou viver outra vez. É irreversível.

 

O mesmo corpo que, sem me avisar, me quis matar, também ele, sem me avisar, me ressuscitou.

 

Di Art Blogger 

 

 

2 comentários

Comentar post