Luz

Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Homem vs Máquina

homem vs maquinas.jpg

Após ler este post no blog Alguns momentos meus..., o qual sigo e gosto muito, iria comentar mas como achei o assunto tão pertinente decidi escrever sobre ele ( grata pela inspiração). Gostava de deixar aqui a minha visão sobre esta temática, por ter uma visão e um ponto de vista diferente da de muitos que tenho ouvido e lido.

 

A questão é: a substituição do trabalho braçal por máquinas, o receio de os postos de trabalho serem substituídos por máquinas.

Seguindo o exemplo dado no post do Carlos:” as maquinetas do Mc Donalds”, ao não as usarmos estamos a contribuir para a manutenção do posto de trabalho dos colaboradores que estão no balcão. Percebo a ideia. 

 

Então, leiam lá este meu ponto de vista!

 

Visão Comtemporanêa Di Art Blogger -  Ao não usarmos as maquinetas do Mc Donalds vamos tirar o trabalho aos seus criadores, aos engenheiros informáticos que as desenvolvem, aos operários que as constroem, aos colaboradores da manutenção, ficam todos sem emprego, para não falar mas falando, na estagnação da evolução.

O objetivo da substituição do trabalho braçal pelas máquinas é facilitar as vidas dos colaboradores nas tarefas mais cansativas, propocionar mais qualidade de vida e obviamente o aumento da rentabilidade (sim talvez este último objectivo devesse ser enumerado em primeiro lugar).

No fundo existe uma substituição do trabalho braçal pelo trabalho intelectual.

Claro está que para este trabalho intelectual talvez precisemos apenas de 1 trabalhador para fazer o que 3 faziam, e as empresas conseguem rentabilidade como se tivessem 5. Confuso? Continuando, mas também é certo que essa pessoa, a que faz esse trabalho intelectual, também ganha um salario três vezes maior que o trabalhador do balcão, o que significa que na família desse trabalhador talvez a esposa não precise de trabalhar e possa ter 3 filhos e contribuir para a natalidade que tanto é preciso e de que tanto se queixam as famílias, ou outro tipo de vida qualquer, viajar, estudar, digna, em que salários mais altos permitem mais autonomia perante a sociedade.    

 

As máquinas não se desenvolvem nem trabalham sozinhas, as máquinas não têm emoções, as máquinas não têm bom senso, não são estrategas, criativas, as máquinas são criadas e alimentadas por pessoas.

 

As máquinas são nossas aliadas, não inimigas! 

Que acham deste ponto de vista?     

 

Di Art Blogger 

4 comentários

Comentar post