Luz

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Fui e não fui em D´bandada!

 

Eu disse que ia, e fui (…), queria ter ido mais! Bem cedinho para ver o Jorge Palma no Elétrico, mas não deu, dizem que foi lindo. É sempre, eu adoro a ideia do elétrico como palco.

Quando lá cheguei, ainda não eram 19h, a baixa já estava assim, olhem lá.

IMG_7690.JPG

IMG_7691.JPG

(um dia compro uma máquina fotográfica a sério e vocês não se riem mais das minhas fotos)

 

É certo que ultimamente ela tem estado sempre com muito movimento, mas esta noite foi quase noite de S. João – como comentavam.

E como sempre que vou à Baixa nunca faço nada do planeado, há sempre tanto que fazer por lá, desta vez não foi exceção.

Os concertos estavam a decorrer, no ambiente sentia-se música ouvia-se música, mas nós estávamos com fome e na Baixa petisca-se tão bem que não quisemos desperdiçar, já que lá estávamos fomos, petiscar ao Tapas na Boca, mesmo na rua das galerias, (não foi assim tão caro) delicioso, tanto que fomos pedindo mais uma e outra, conversa puxa conversa e fomos ficando.

IMG_7692.JPG

 

Eis que entra uma cara que não me era de todo estranha, o restaurante silenciou, o tal senhor da cara não estranha entrava confiante e sorridente, cumprimentou uma das senhoras da mesa da frente e os empregados, tão a vontade que eu pensei - infelizmente um bocadinho alto ao ponto de se ouvir entre os meus amigos - deve ser o dono do Restaurante!

Risada total na minha mesa, e o restaurante voltou á normalidade, ao mesmo burburinho agradável de pequenos risos e cochichos.

- É o teu Presidente.

-Meu? Ah pois é. Realmente a cara não me era estranha. É mesmo o Rui Moreira. É alto.

 

Já se fazia tarde e nós queríamos mesmo ir em Debandada, mas alguém comentou que abriu a nova loja da Nutella na Baixa (a maior do país), não foi preciso falar duas vezes. A imagem de assistir ao concerto (sim ainda tínhamos esperança) a comer um crepe de Nutella, ou uma bola de Berlim recheada com Nutella! - Que loucura. Enquanto descíamos a histórica Rua das Flores, no mesmo ambiente de música e alegria, íamo-nos cruzando com apetitosas sobremesas Nutella que subiam a histórica rua das flores. Afinal a Nutella (não digo mais este nome) estava a fazer concorrência aos concertos.

 

Assim que chegamos à porta da dita loja:

- Hei! Fila.

- Vá lá, não está assim tão grande. Esperamos.

- Boa noite diz-nos o senhor mesmo a nossa frente, de tablet na mão, com um avental que o identificava como sendo da tal loja.

-Boa noite, estou a tomar conta dos pedidos e neste momento temos pedidos para 2 horas.

- 2 Horas?!Uníssono.

- Pois, se calhar é desconfortável para vocês. O nosso produto é feito na hora e tem um tempo de confeção de 3 a 5 minutos, estamos mesmo com muitos pedidos.

- Não precisa de nos convencer, nos já desistimos. (risos)

- Não, não é convencer - mas se vierem em outro dia é possível que sejam melhor atendidos, e temos muito gosto que voltem.

- Combinado.

Subimos a histórica rua das flores (até vou pôr aqui uma foto para quem não conhece), rumo ao concerto.

rua das flores.jpg

( Não, nao fui eu quem tirou esta foto, caso não tenha reparado).

 

- Miguel Araújo - ouvi.

Finalmente Avenida dos Aliados, e não conseguíamos mais andar, mas ouvimos, o fim do concerto, rodeados de famílias, jovens, menos jovens, crianças às cavalitas, lá cantamos todos juntos, conhecidos e desconhecidos, homens e mulheres, gritávamos “Toda a gente sabe que os homens são feios” sem conseguir conter os risos.

 

Li depois no Facebook do Miguel Araújo:

“Obrigado Porto. Obrigado NOS, obrigado D'Bandada. Foi um dos concertos da minha vida.”

"Na Avenida dos Aliados registou-se a maior enchente da edição deste ano, onde o palco ali montado que teve como ponto alto da noite o concerto de Miguel

Araújo, ele que é um dos maiores embaixadores do evento, com presença em todas as cinca edições."

 

A certa altura alguém do meu grupo diz-me:

- Olha ali outra vez o dono do Restaurante…( risada total mais uma vez à minha custa, não faz mal porque eu também ri e também rio muitas vezes a custa deles).

E lá estava ele, o Presidente Rui Moreira, ligeiramente deslocado da multidão, de cabeça erguida (ou será por ser alto? – a serio é alto. Já tinha dito. Pois.), sorridente para quem passa, social, no blá blá blá.

- Sim senhor, este homem é um bom anfitrião – disse eu.

Foi quando me disseram que parece que é normal vê-lo passear pelo Porto, na melhor forma de relações públicas, presente nos eventos mais badalados da cidade, todo orgulhoso e sorridente para quem lhe quiser sorrir.

 

A festa continuou noite dentro, mas para mim já era hora, quando me vim embora deixava para trás a Baixa, iluminada, viva, cheia de energia e diversão, num ambiente de paz. As famílias estavam a recolher-se e a noite agora era para quem precisa de nela se encontrar, ou confessar.

 

Nota: Peço desculpa a quem abriu este post a pensar que ia ter uma visão e opinião sobre os concertos, para a próxima já sabe, as minhas vivências são sempre um pouco ao lado do palco principal.

 

Di Art Blogger