Luz

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Di Art Blogger

O psicólogo aconselhou-me um Blog e perdeu uma paciente.

Acredito na Mãe Natal, mas não é todos os dias!

mulher-multi-foto[1].jpg

Desde que iniciei esta minha aventura na blogosfera, farto-me de ler - estou a adorar, no ponto viciada – cronicas e mais cronicas, textos, historias, opiniões, criticas, pensamentos e comentários. Tem escritores que não são mas queriam ser, outros que deviam ser, aqueles que dizem ser e os que são, mas não deviam. (ai, vou tomar café e já volto…).

 

Então o que eu queria dizer por verdade é que tenho encontrado textos e blogs maravilhosos, é certo, mas tenho encontrado outros que deixam a desejar.

 

Vou falar-vos dos que pela sua utopia (na minha opinião) – e o facto de escrever sobre estes deve-se a me terem chamado a atenção pela sua popularidade, por serem os mais comentados e seguidos e por não só na blogosfera mas tambem em outros varios contextos me deparar com este formato – vejamos; falo de mães, mulheres, amantes, amigas, filhas, donas de casa e executivas, tudo na mesma pessoa, que fazem tudo isso e com muito sucesso, e ainda, têm tempo para ter um blog, ir ao ginásio ao cabeleireiro e de férias, documentando tudo com fotos extraordinárias que retratam sempre momentos perfeitos, roupas in vogue, todos pandã e com um ar fresco.

 

Quando lhes perguntam como conseguem tudo isso – porque o povo sabe “ que muito e bem há pouco quem”, não é bem assim o ditado mas o povo também sabe inventar -, de forma simpática - porque também são amorosas e simpáticas - se prontificam para descrever o seu dia-a-dia.

 

Levantam-se as 5h da manha, para escrever no blog, as 7h acordam os filhos, dão-lhes o pequeno-almoço (em alguns casos trocam-lhes a fralda) vestem-se, levam-nos a escola, as 9h estão no trabalho, na hora de almoço leem o jornal e ligam com a mãe, as 18h pegam os filhos levam ao ballet e ao karaté, as 19h30 estão em casa, as 20h estão a jantar já com o banho tomado, as 21h estão a dormir, as 21h30 estão a ler um livro as 22h20 estão a ser amantes, às 22h32 vão dormir – porque faz bem á pele ao cabelo as unhas e ao cérebro - ao sábado de manha vão ao supermercado, de tarde ao cabeleireiro, as 18h encontram-se com as amigas a passar um final de tarde e relaxar juntas, no Domingo almoçam com as sogras e de tarde vêm um filme em família, e comem pipocas feitas em casa.  

 

Ora, o povo fica admirado, pois fica, porque o povo já teve filhos e no primeiro ano de vida das criaturinhas não conseguia sequer tomar um banho em condições (do tipo Spa caseiro). O povo já teve filhos e sabe que dormir é escasso, portanto relógio a despertar as 5h da manha, só se for para dar benuron aos miúdos.

 

Não quero ser desmancha-prazeres, tão-pouco julgar, por isso vou partir do princípio que seja verdade tudo o que dizem ser e fazer. Partindo desse pressuposto, é realmente admirável e notável, fácil perceber porque têm tantos seguidores, eles, consciente ou inconscientemente também gostariam de assim ser. Eu própria gostava, confesso.

 

Também eu acredito no Pai Natal e nos Super-Heróis, acredito mesmo que eles existam, mas não é todos os dias, temos momentos. Porque todos os dias é exaustivo. Já pensaram porque é que o Pai Natal só aparece um vez por ano e os Super -  Heriós tem uma mascara e uma vida dupla?

 

Partindo do pressuposto de que assim o é, de que estas pessoas são e fazem tudo o que dizem, de forma rotineira e por norma, não entendo do que se gabam, pois alguém com este ritmo de vida só tem um fim, Burnout! ( Não, rapazes, não é o jogo! Não vão por aí!)

 

Di – dando um conselho gratuito – Não faça isto em sua casa.